O que você tem feito?
27 | 10 | 2017
Na última terça-feira, 24, participamos do Iguatemi Talks Fashion, um evento realizado pelo JK Iguatemi, em São Paulo, e que visa promover o debate sobre tendências e o futuro da moda. O tema Eco Fashion foi abordado por três grandes nomes da moda nacional: Chiara Gadaleta (Consultora de moda), Rony Meisler (CEO da Reserva) e André Carvalhal (Diretor criativo da Ahlma). 

De olho no futuro e sem esquecer o presente, a proposta deste encontro era estimular a reflexão sobre os processos atuais da moda, o que já é feito para reduzir alguns impactos (culturais, sociais, ambientais e econômicos) e quais mudanças precisamos fazer desde já. O interessante é que, como é tudo muito novo, não há regras, apenas um objetivo comum: melhorar, evoluir, mudar.

Além de cada um falar um pouquinho do seu trabalho (o movimento/prêmio Ecoera, assinado pela Chiara; projetos como 1p5p, em que a cada peça de roupa comprada no site ou lojas físicas da Reserva, 5 refeições são viabilizadas e entregues a quem tem fome no país; e a Ahlma, nova marca de André Carvalhal, que aposta em produtos e em uma cultura de moda ecologica e socialmente responsáveis), o trio levantou uma questão: o que a sua empresa - seja ela de moda ou não - tem feito para reduzir tais impactos? E o que você, como pessoa, faz no dia a dia para diminuir o lixo, consumir conscientemente, ajudar ao próximo?

Para Meisler, “conselho é bom, exemplo arrasta”. Basta servir de inspiração para alguém que as mudanças acontecem. E elas não precisam ser gigantescas, mas podem e devem, sim, existir. Coisas simples, como produzir etiquetas que carregam informação de como lavar aquela peça sem prejudicar o meio ambiente, ter um site transparente que apresenta os custos ao consumidor, pensar em produtos que gerem menos resíduos. Ser honesto. Com você, com o cliente, com o mundo.

Com a mesma criatividade “despejada” nos produtos de moda, porque não criar algo que possa servir também para a sociedade, para o meio ambiente e para a cultura? Por conta dessa valorização do que é criativo, o designer e a figura do diretor criativo voltam a se destacar e a serem fundamentais para a transformação de indústrias como a da moda. Muito mais que agregar valor e puxar o consumidor para dentro da marca, tornando-o parte daquele universo, o hoje (e o amanhã) pede ideias que vão além do vestir, da tendência, da moda.