Chegou a vez dos negócios leves
29 | 09 | 2017
Os pequenos negócios, os negócios “autorais”, mais ágeis e com mais alma, irão tomar conta do mundo. Pessoas cansadas de um jeito de fazer antigo, corrompido e pesado estão se rebelando contra a ideia de sucesso de outras gerações, onde os negócios eram feitos para durar e crescer sem medidas e "custe o que custar" (inclusive, a própria felicidade). Chegou a vez dos “negócios leves”, fluídos e efêmeros. Feitos para durar enquanto geram felicidade para quem faz e para quem compra.

Os novos negócios são plataformas para concretizar um sonho, um jeito de pensar e fazer, um jeito de manifestar crenças de mundo. Eles são resultado de um mindset mais colaborativo, onde o “conquistar junto” é mais importante do que o “ganhar sozinho”. Ecossistemas de pequenos produtores/pensadores irão gerar um impacto em nossa maneira de nos relacionar com as marcas e com as “coisas” que compramos. Compraremos cada vez mais de quem produz, falaremos com o dono, as marcas serão mais transparentes e seus propósitos mais humanos. 

Por trás desses pequenos negócios estão microprodutores cansados de atravessadores, jovens que trocaram a gravata por uma câmera fotográfica, criativos entendiados com metas. Estão pessoas do campo, pessoas da moda, os cansados do escritório e que transformaram seu plano B em plano de vida. Um publicitário que quer ser cozinheiro, uma turismóloga que sonha com uma cafeteria, uma jornalista que quer fazer roupas. São pessoas que um belo dia decidiram botar pra fazer.

Esses negócios têm equipes pequenas, se adaptam mais rápido às mudanças e às pessoas. A inovação está em seu DNA, são movidos por sonhos e contam histórias, ou melhor, te trazem para dentro de suas histórias. Eles podem estar em qualquer lugar e espalhados pelo mundo, afinal, não existem fronteiras para os “negócios leves”. Esses negócios estão nas nuvens e a tecnologia está a serviço de um bem maior. Eles querem ganhar dinheiro e mudar o mundo. E estão mudando tudo mesmo.

E você, quando se tornará autor do seu próprio negócio?